Projetos

Voltar

Desertificação, degradação da terra e secas no Brasil

Ícone do projeto

Desertificação, degradação da terra e secas no Brasil

O estudo

O Estudo “Desertificação, degradação da terra e secas no Brasil” reúne contribuições de vários pesquisadores brasileiros sobre o tema Desertificação, degradação de terras e secas (DLDD, na sigla em inglês) tendo como foco a situação particular do Semiárido brasileiro, uma região tradicionalmente sujeita a secas e a processos de degradação da terra e desertificação. O trabalho é pioneiro na área.

A expectativa é que essa iniciativa dê início a uma série de estudos semelhantes em outras áreas e países da América Latina e Caribe e que, dentro de algum tempo, se possa ter um quadro consolidado da situação de DLDD em toda a região.

O estudo foi realizado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), em conjunto com a Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura (FCPF) e a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), contando com contribuições de diversos parceiros.

 

Objetivo

Produzir e divulgar o conhecimento sobre o Semiárido para elevar o nível de priorização dessa região nas políticas públicas brasileiras e internacionais.

 

Metodologia proposta

O estudo foi iniciado a partir de revisão bibliográfica com vistas a identificar não apenas registros históricos de ações públicas, mas principalmente indicativos de áreas degradadas, para saber se tais espaços haviam sido recuperados ou ampliados.

Também foram utilizadas imagens de satélites para identificar e dimensionar as atuais áreas desflorestadas, assim como classificar o seu grau de degradação.

Para a elaboração da análise socioeconômica foram utilizados os dados censitários, elaborados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Após a elaboração de uma versão preliminar do estudo, se organizou uma oficina de trabalho com especialistas estaduais, com produções acadêmicas relevantes, onde se modelou as análises socioeconômicas e ambientais, assim como as dimensões e o grau de degradação dos espaços territoriais antropisados.

 

Equipe CGEE

Diretor supervisor:

Antônio Carlos Filgueira Galvão

Coordenador:

Antônio Rocha Magalhães

Equipe:

José Roberto de Lima

Betina Ferraz Barbosa