Notícias

Diretor do CGEE participa de painel no 2º Fórum Brasileiro de Deep Techs

O Fórum reuniu os principais especialistas do Brasil para compartilharem suas experiências e visões sobre o desenvolvimento de Deep Techs no país.

5CNCTI retoma processo de inscrição para participantes presenciais da Conferência

O maior encontro de CT&I do país acontecerá nos dias 30, 31 de julho e 1º de agosto, no Espaço Brasil 21, em Brasília (DF).

DF se compara aos EUA em número de titulações de doutores, aponta estudo inédito do CGEE

O estudo "Brasil: Mestres e Doutores 2024”, do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, aponta que a cada 100 mil habitantes do DF, 21 são doutores.

Perfil da pós-graduação muda no país em 25 anos

Retrato do setor está no estudo Brasil: mestres e doutores, do CGEE.

Mulheres são maioria dos mestres e doutores no Brasil, aponta estudo do CGEE

Participação feminina chega a 56,8% dos títulos de mestrado e 55,6% no doutorado. Pesquisa traz um panorama sobre a formação e emprego no Brasil entre 1996 e 2021.

Oics disponibiliza curso gratuito sobre sustentabilidade e inovação para gestores urbanos

O curso é gratuito e oferecido de forma assíncrona, permitindo que os participantes estudem no seu próprio ritmo, no dia e hora que tiveram disponibilidade.

Lançamento do 6º Boletim Temático do Observatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (Octi) destaca CT&I na Amazônia Legal

O boletim oferece uma análise detalhada sobre temas importantes como infraestrutura científica, recursos humanos, colaborações estratégicas e o impacto socioeconômico das atividades de pesquisa e inovação na região.

As mulheres são maioria entre os mestres e doutores do Brasil, aponta estudo inédito do CGEE

O estudo foi lançado ontem (04), durante debate com participação do presidente do CNPq, Ricardo Galvão; da presidentes da Capes, Denise Carvalho; dos diretores do CGEE, Fernando Rizzo e Anderson Gomes; além de representantes do CNCTI e da Academia.

CGEE lança edição 2024 do estudo Brasil: Mestres e Doutores

A publicação traz o mais completo conjunto de informações estatísticas sobre a formação e o emprego desses profissionais.

Conteúdos mais visualizados Conteúdos mais visualizados

Voltar

Coletânea

SBPC

Coletânea


Agência CT&I Amazonas/ Carlos Fábio Guimarães

A pesquisadora Bertha Becker, uma das grandes colaboradoras do CGEE, foi homenageada pelo Centro em sessão especial realizada ontem (25), durante a programação da 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que acontece no Recife (PE). O encontro contou com a participação da presidente da entidade, Helena Nader, e de diversos representantes da academia.

Professora emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Bertha era considerada uma referência internacional em geografia política, principalmente em estudos sobre a Amazônia. A pesquisadora faleceu no dia 13 de julho, aos 83 anos.

“O CGEE decidiu prestar uma homenagem à Bertha e também compartilhar as suas contribuições aos estudos do Centro com todos aqueles que conhecem ou gostariam de conhecer a obra dessa pesquisadora que tanto contribuiu para o desenvolvimento do país”, afirmou o presidente do CGEE, Mariano Laplane.

Na ocasião, o Centro lançou uma coletânea que reúne em CD textos, alguns inéditos e outros já publicados, elaborados pela pesquisadora entre 2006 e 2012, período ao longo do qual o CGEE contou com a sua dedicação à reflexão sobre os caminhos do desenvolvimento sustentável da região amazônica e da integração nacional.

Durante a sessão, a geógrafa Adma Figueiredo, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), lembrou das propostas visionárias de Bertha em relação à Amazônia. “Ela foi pioneira nos estudos sobre as cidades e fronteiras amazônicas. Produziu inúmeros avanços conceituais e metodológicos, como a constituição de políticas de zoneamento para a região”, disse.

O antropólogo Otávio Velho, da UFRJ, lembrou da capacidade de diálogo e de conciliar posições da pesquisadora. Ele também destacou o respeito da geógrafa pelos conhecimentos tradicionais. “Ela tinha isso de uma maneira muito forte, mas buscando um relacionamento entre esses conhecimentos e a ciência”, afirmou.

A pesquisadora Tatiana Sá, da Embrapa Oriental, ressaltou a contribuição de Bertha para a formulação de políticas públicas. “Várias de suas ideias inspiraram programas ou projetos de pesquisa”, disse.

A coletânea pode ser acessada neste link.