Voltar

Observatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (OCTI)

Ícone do projeto

Observatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (OCTI)

Sobre o OCTI

O Observatório de Ciência, Tecnologia e Inovação (OCTI), desenvolvido pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), tem como objetivo monitorar o estado da arte, as tendências e os sinais emergentes relacionados ao ambiente de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), no Brasil e no mundo. A missão do OCTI é identificar desafios e oportunidades para subsidiar tomadas de decisão governamentais na formulação e avaliação de programas e políticas nessas áreas.

Para isso, o OCTI fornece informações de qualidade, de maneira sistemática e contínua, para o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI), por meio de serviços de inteligência estratégica e antecipatória.

O OCTI busca construir uma rede de parceiros mobilizados para a realização de estudos temáticos e a validação de conteúdos, contribuindo para a geração de informações de qualidade e alto nível.

Objetivos

Sua função é observar, acompanhar e antecipar o desenvolvimento de temas estratégicos, científicos e tecnológicos, com foco em aspectos críticos, considerando recortes geopolíticos, temáticos ou regionais. Além disso, atua na concepção e produção de indicadores referentes às atividades de CT&I.Os principais objetivos específicos do OCTI são:

  • Elaborar, de forma contínua, um sistema de identificação de informações com potencial de portar futuro científico e tecnológico no País. Isso se dará por meio da produção de diagnósticos; do monitoramento de indicadores relacionados; da identificação de tendências; e da produção de recomendações de potenciais estratégias ou ações para lidar com os desafios e as oportunidades identificados.
  • Testar, desenvolver e aplicar metodologias de inteligência antecipatória e estratégica voltada para o ambiente de CT&I, promovendo novos inputs para a área.

Serviço

A proposta de atuação do OCTI inclui duas linhas de trabalho: monitoramento e análise sistemática de temas e atividades científicas, tecnológicas e de inovação; e estudos Ad hoc, pelo qual serão realizados trabalhos específicos, com recortes temáticos, regionais ou institucionais, ou mesmo de tendências tecnológicas.

Na primeira linha, há três eixos permanentes:

  • Panorama da ciência no mundo;
  • Panorama da ciência brasileira;
  • Panorama de temas e desafios globais.

 As informações e indicadores referentes a esses pontos devem ser disponibilizados de forma contínua em uma plataforma, por meio de dashboards dinâmicos e interativos, e, suas análises, apresentadas em um boletim anual.

Diretrizes metodológicas

1. Trajetória do conhecimento e da inovação

Serão consideradas práticas de observação e de acompanhamento dos domínios temáticos portadores de futuro científico-tecnológico, que existem em distintos ambientes, tais como: a formação em recursos humanos; a produção qualificada; a produção financiada pelo setor público; e a produção patentária. Também são observados, entre outros aspectos, seus desdobramentos sociais, os impactos dos conhecimentos gerados, incrementais ou radicais, sua função retroativa ao próprio ambiente, seus processos de viabilidade comercial e sua inserção mercadológica.

2.   Avaliação estratégica em CT&I

Serão adotadas as seguintes boas práticas para a avaliação estratégica da ciência e tecnologia: o subsídio de indicadores qualitativos e quantitativos; o papel da transparência na elaboração e divulgação dos dados; o respeito às capacidades locais dos atores no ambiente de CT&I; a consideração das missões institucionais para o desenvolvimento de indicadores compostos; a disponibilização de dados; entre outros aspectos. O Observatório levará essas dinâmicas como condicionantes para suas análises, impedindo leituras enviesadas que desconsiderem a pluralidade e as assimetrias da área.

 3.   Inteligência antecipatória como recurso de observação e monitoramento

A inteligência antecipatória pautará a estrutura organizacional do Observatório, promovendo o desempenho de altos estudos que considerem a prospecção como elemento importante para avaliação, diagnóstico e monitoramento dos processos na área, uma vez que o escopo do OCTI são os domínios temáticos portadores de futuro e suas aplicações e implicações no circuito de CT&I.

Esses condicionamentos fornecerão as bases para o desenvolvimento de um ciclo de inteligência e de sua trilha de observação, com base na elaboração de estratégias antecipatórias, capazes de detectar as necessidades, os possíveis gargalos e as possibilidades de cooperação e de melhorias nesse campo.

 

Equipe técnica do CGEE

Marcio de Miranda Santos (Supervisor)

Adriana Badaró de Carvalho Villela (Coordenadora)

Carlson Batista Oliveira

Cesar Augusto Costa

Eduardo Amadeu Dutra Moresi

Fabíola Brandão Maia Pitta

Genilda Carlos da Mota

Ivone Alves de Oliveira Lopes

João Vitor Rodrigues Martins

Marcelo Augusto de Paiva dos Santos

Mayra Jurua Gomes de Oliveira

Sofia Cristina Adjuto Daher

Matheus Figueiredo Pimenta (Estagiário)

Boletim Temático do OCTI

 

N 03

N 01